Notícias

13 de dezembro de 2017

Apesar do apoio da maioria dos deputados veto presidencial não foi derrubado

Por: Junia Ferreira

 

Aproveitamos a oportunidade para cumprimentar o Excelentíssimo Senhor Presidente Temer pela manutenção do veto ao porte de armas para a nossa categoria de agentes de trânsito. Aproveitamos para agradecer pela manutenção da nossa insegurança em nome das nossas famílias. 

Dizem que o pior cego é o que não quer ver. Na verdade consideramos que sejam aqueles que se recusam a ler. Assim são os senhores deputados federais e senadores que sob as argumentações frágeis de que não teríamos o treinamento adequado ou que a aprovação do PLC 152/15 oneraria o erário municipal votaram pela manutenção do veto. Gostaríamos que soubessem que há previsão no instituto legal decadente de treinamento e testes psicológicos, bem como a possibilidade do próprio gestor público optar entre armar ou não seus agentes. Além do mais, no próprio Código de Trânsito Brasileiro  (CTB) há previsão orçamentária para munir os agentes de trânsito de equipamentos necessários à lide.

A gratidão de coração e sem ironia vai para aqueles 174 deputados que compreendem as necessidades de segurança da categoria e tomaram para si nossa causa.  Eles não se omitiram e no plenário se expressaram em nossa defesa, contestando os inconsistentes argumentos dos 152 deputados que se recusam a ler  ou fazem parte de uma comissão de direitos humanos fajuta que só beneficia a bandidos. Armar o povo  de bem é perigoso, mas abordar marginais armados até os dentes em uma blitz, sem ter sequer direito ao uso de colete balístico é  aceitável. 

O início desse texto foi hipócrita para sincronizar com a hipocrisia daqueles que tudo fizeram para que o veto não caísse hoje. Especialmente ao Presidente do Senado que claramente demonstrou que tudo faria para a continuidade do voto de desamor à classe e aos cidadãos de bem proferido pelo presidente da República.A luta continua. 

A AGT Brasil e a classe como um todo certamente buscará novas alternativas até obter hesito.  Avante, guerreiros! Vamos com fé e amor à profissão.

 

Comentários